MOTIVAÇÃO IIII GUARDA CIVIL IIII

sábado, 13 de março de 2010

Mais de mil guardas municipais são demitidos às vésperas do FSM 2009

>>  Grupamento de Ações Táticas (GAT) da Guarda Municipal dando apoio à ação de fiscalização da Secon.
BELÉM (PA) - Às vésperas do Fórum Social Mundial (FSM), em meio aos constantes casos de violência que a cidade vem enfrentando, exatos 1.009 guardas municipais tiveram seus contratos encerrados e foram exonerados pela Prefeitura Municipal de Belém. De acordo com a comandante da Guarda Municipal de Belém (GBel), Ellen Margareth, os guardas haviam assinado um contrato administrativo em 2007 e janeiro de 2008, com prazo de encerramento determinado para 31 de dezembro de 2008.

Segundo ela, dos mais de mil guardas demitidos, 200 ainda deverão voltar e ter o contrato prorrogado por mais um ano, de acordo com a ordem judicial dada para a prefeitura. "Iremos fazer uma triagem, aqueles que tiverem apresentado menor quantidade de faltas, bom comportamento e bom desempenho farão parte dos 200 que voltarão", disse Ellen.

Ellen Margareth afirmou também que o prefeito Duciomar Costa já autorizou a realização do concurso público da GBel e que até o final do primeiro semestre o edital será lançado, ofertando cerca de 350 vagas para a contratação de novos guardas municipais.

"Precisamos apenas ajustar os procedimentos internos, como processo licitatório para a escolha da instituição que irá organizar o concurso, mas esperamos que até agosto ou setembro deste ano possamos apresentar esse novo efetivo para a população", explicou.

Com a dispensa dos policiais, o efetivo da GBel está contando desde segunda-feira com apenas 600 guardas concursados, que terão que atuar no trânsito, no serviço de pronta resposta e grupamento de elite, que age em situações de alto risco.

"A gente vai ter que se virar nos 30. Apesar disso, acho que de tudo temos que tirar o lado bom das coisas. Com o concurso público, teremos novos guardas mais preparados e capacitados para trabalhar pela segurança da cidade", concluiu.

Sobre o contingente que trabalhará durante o FSM, que acontece a partir do próximo dia 27, Ellen garantiu que, em média, 500 guardas, do total de 600 que ainda restam, atuarão na segurança do evento. "Vamos agir sempre em parceria com a Polícia Militar, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal, para que juntos tenhamos um excelente desempenho no Fórum", garantiu.

O reflexo da redução de guardas já pôde ser percebido nas ruas da cidade. Na tarde de ontem as cabines dos guardas municipais que ficam na praça Batista Campos estavam vazias. Mas, segundo Ellen, os postos suprimidos pelos guardas foram apenas os prédios públicos, que abrigam as Secretarias da PMB, já nas praças e ruas da cidade o contingente de homens continua o mesmo.

"Só diminuímos o número de guardas nos prédios da prefeitura, fora isso, o contingente continua o mesmo de antes. A população não será abandonada", finalizou. "A nossa escala está apertada e teremos que fazer escalas extras para poder suportar a demanda do Fórum Social Mundial", diz o presidente da Associação dos Guardas Municipais de Belém, Geraldo Sena.

Em muitos locais onde a guarda atuava, como os postos da Secretaria Municipal de Saúde, foram contratadas empresas de segurança para prestar os serviços. "Nós esperávamos que houvesse uma prorrogação do contrato por um ano pelo menos, já que um guarda concursado leva cerca de quatro meses para ser formado, além do tempo anterior, que é de edital, inscrição, provas e divulgação dos resultados", diz Sena.

SACRIFÍCIO

O presidente da Associação diz que os guardas que restaram estão trabalhando no sacrifício. "Teremos que nos desdobrar no Fórum, principalmente devido à quantidade de pessoas que deverão estar na cidade". A assessoria de comunicação do FSM afirmou que a segurança do evento tem a participação do Exército, da Guarda Nacional e da Polícia Militar e que não está explicitado qual será a participação da prefeitura nesse sentido. Os poucos guardas que restaram terão que se desdobrar, sobretudo durante o Fórum Social Mundial.

Guarda Municipal de Santa Cruz completa 13 anos de atuação


Guardas Municipais de Santa Cruz estão preparados para diversas atividades
 Criada em 14 de Maio de 1996, a Guarda Municipal de Santa Cruz do Sul está em atividade ininterrupta a 13 anos, atuando 24 horas por dia.
Tendo como Diretor o Comissário de Policia José Osmar Ipê da Silva, que responde pelos assuntos de segurança do município, os agentes são chefiados por Reginaldo Martins Britto de Campos.
A atuação da Guarda é ampla, realizando atendimento na área social, apoio ao Conselho Tutelar, Defesa Civil e proteção e segurança ao patrimônio municipal.
O Diretor Ipê destaca como fatores importantes, a participação do efetivo em atividades educacionais e a busca por constante aperfeiçoamento, “Periodicamente os integrantes da Guarda Municipal participam de cursos preparatórios e de capacitação, ampliando seus conhecimentos nas áreas de atendimento e legislação” comentou ele.
Uma das bandeiras de Ipê a testa da Guarda Municipal, é sempre oferecer a melhora nas condições de serviço e segurança, pois segundo o diretor, o bem estar do agente reflete também ao atendimento dado a população.
A parceria com entidades como Corpo de Bombeiros, Brigada Militar, Policia Civil e Imprensa também reforça nosso trabalho” frisa Reginaldo Britto, Chefe da Guarda.
A Prefeita Kelly Moraes aproveitou a data para saudar todos os integrantes da Guarda Municipal, citando que a comunidade de Santa Cruz se orgulha em ter um serviço de qualidade, prestado por essa valorosa equipe.
Ela anunciou que melhorias para esse setor já estão sendo estudadas, devendo novidades surgir em breve.


Trânsito na porta de escolas tem atenção especial

Guarda Municipal intensifica rondas preventivas nos horários de rush



O movimento de carros concentrados nos acessos às unidades escolares de Porto Real tumultua o tráfego das principais ruas do município nos horários de entrada e saída dos estudantes. Por determinação do prefeito Jorge Serfiotis, a Guarda Civil Municipal tem atuado com mais rigor junto aos motoristas nos horários de rush em frente a escolas da cidade.
 
“Intensificamos as rondas preventivas nas escolas para oferecer maior segurança aos alunos, pais e professores. Nosso intuito é orientar melhor o trânsito no horário de entrada e saída dos estudantes”, afirmou o guarda Maicon de Oliveira, relações públicas da GM. “Nosso trabalho se baseia na conscientização e educação da população para evitar acidentes e imprevistos”, emendou.
 
O esquema de trabalho da Guarda Municipal abrange todas as unidades escolares de Porto Real. O maior movimento, no entanto, é verificado por volta das 17h30 na Avenida Dom Pedro II, em frente a dois colégios do município. “Nesse horário, é gente saindo do trabalho, buscando filho na escola, indo para a faculdade. Tudo ao mesmo tempo. Como a via é em mão dupla, precisamos intervir para evitar que a rua fique intransitável”, explicou o relações públicas.
 

Ocorrências da Guarda Municipal de Jundiaí

Guarda Municipal de Jundiaí detém dois furtando escola municipal
Dois homens foram detidos pela Guarda Municipal durante a madrugada de ontem, na Vila Rio Branco. Mario Mitsuo Ikeda, 42 anos, e Adilson Pedro de Melo, 18 anos, foram pegos em flagrante quando passavam duas telas de LDC pelo muro da EMEB da Vila Rio Branco. O vigilante noturno passou pelo local e viu Ikeda recebendo os produtos por cima do muro. Um terceiro indivíduo estaria participando do furto, porém conseguiu fugir. O vigilante acionou a GM, que deteve os dois com os pertences da escola. No interior da escola foi constatado o arrombamento da porta. Ikeda alegou que estava ajudando o amigo a carregar os monitores. Melo disse que estava acompanhando Ikeda. Os dois foram levados para a Cadeia de Jundiaí. Furto a casa - A cabeleireira Carla Regina dos Santos, 31 anos, teve a casa, localizada no Jd. Eldorado, invadida por desconhecidos. O portão e a porta da sala foram arrombados. Todos os cômodos foram revirados e foram levados um computador, micro-ondas, uma televisão e um quadro.
Guarda Municipal de Jundiaí detém um por tráfico
Um homem foi detido pela Guarda Municipal na Vila Hortolândia, na madrugada de ontem. De acordo com informações da GM, uma viatura em patrulhamento avistou um casal próximo a um veículo. Ao notarem a presença da viatura, os dois tentaram fugir, sendo que o rapaz tentou ainda jogar um saco plástico no telhado de uma residência próxima.O subinspetor Pereira, acompanhado pelos GMs Cabral e Barros, detiveram a desempregada G.G.S., 26 anos, moradora do Jardim Sorocabana, e o desempregado Edilmo Faustino da Silva, 24 anos, morador do Jardim São Camilo.Ao revistar o veículo Corsa GM, placas CPY-4302 de Jundiaí, os GMS encontraram a quantia de R$ 1.380,25 e 40 trouxinhas de substância similar a maconha. Os entorpecentes e o dinheiro estavam debaixo do tapete e porta-luvas, acondicionados num saco plástico.Com a autorização do proprietário do imóvel, o saco plástico jogado por Silva foi recolhido e nele havia 52 tubetes contendo substância similar a cocaína, um maço de cigarros contendo 18 pedras de substância similar a crack, envoltas em papel alumínio.Com a jovem nada foi encontrado.Após exames toxicológicos, as substâncias apresentadas foram classificadas pela Polícia Científica como sendo entorpecentes: crack (6,7 gramas); maconha (128 gramas) e cocaína (33,4 gramas). Diante dos fatos Silva foi preso por tráfico, uma vez que os elementos indiciários apresentados sinalizam que o mesmo tinha sob sua guarda entorpecente destinado ao comércio, e encaminhado à Cadeia Pública de Jundiaí.
Fonte: Blog Amigos da Guarda Civil
Além de multar, Guarda Municipal terá arma de fogo em BH Além de voltar a multar em BH em 1º de fevereiro, homens da Guarda Municipal poderão andar armados. Revólveres já foram comprados e autorização depende do aval da Polícia Federal
Pedro Rocha Franco - Estado de Minas



Intenção da PBH é que agentes (de boné) atuem com a Polícia Militar e fiscais da BHTrans para coibir abusos de motoristas infratores - (Marcos Michelin/EM/D.A Press)
Intenção da PBH é que agentes (de boné) atuem com a Polícia Militar e fiscais da BHTrans para coibir abusos de motoristas infratores
 A partir de 1º de fevereiro, a Guarda Municipal volta a fiscalizar o tráfego de Belo Horizonte. Os 120 agentes de trânsito serão recolhidos das funções que exercem atualmente na próxima semana e passarão por curso de reciclagem entre 25 e 29 de janeiro, antes de terem de volta caneta, bloquinho e apito. Eles autuaram motoristas infratores por apenas cinco dias, em outubro, até serem proibidos pela Justiça. Nos próximos meses, os guardas devem ser autorizados também a andar com armas de fogo. Resta apenas que a Polícia Federal aprove documentação encaminhada pela Secretaria Municipal de Segurança Patrimonial e Urbana.

Os guardas municipais vão atuar, provavelmente, em conjunto com os policiais do Batalhão de Trânsito e os agentes da BHTrans – esses últimos, proibidos de multar por decisão do Superior Tribunal de Justiça. O anúncio foi feito ontem em reunião entre o prefeito Marcio Lacerda (PSB), o secretário municipal de Segurança Urbana e Patrimonial, coronel Genedempsey Bicalho, o diretor-presidente da BHTrans, Ramon Victor César, e o procurador-geral do município, Marco Antônio de Rezende Teixeira, depois de a Corte Superior do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) ter entendido na quarta-feira que os guardas podem fiscalizar o trânsito da cidade. “Eles devem atuar principalmente no Centro, mas também nas regionais Venda Nova e Barreiro”, explica Genedempsey.

Depois do empate de 12 a 12 na votação dos desembargadores, o presidente do TJMG, desembargador Sérgio Rezende, deu voto de minerva favorável ao retorno da Guarda às ruas. Apesar de o acórdão da reunião ainda não ter sido publicado, o entendimento do procurador-geral do município é que não é preciso esperar. Com isso, os agentes devem passar por curso de reciclagem por terem desempenhado outras funções por quase quatro meses. Nos cinco dias de treinamento, eles terão aulas teóricas e práticas com professores da BHTrans e da Polícia Militar. “Também devem ser definidas as atividades e o posicionamento dos agentes”, explica o secretário de Segurança Urbana e Patrimonial.

Reforço

Nos próximos meses, o efetivo do trânsito será reforçado. A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) espera o Tribunal de Contas do Estado analisar edital para contratação de 600 agentes antes de republicá-lo. No ano que vem, está prevista a chamada para mais 600 homens. Atualmente, a Guarda atua com efetivo de 1,9 mil pessoas e a legislação prevê limite de 3 mil servidores. Quantos desses servirão no trânsito será definido posteriormente.

A intenção da PBH é que os três órgãos atuem no trânsito de BH. Mas a definição ainda deve demorar. O processo envolvendo a BHTrans deve sair somente em fevereiro e, depois, seguir para o Supremo Tribunal Federal (STF). Mesmo destino que deve ter o caso da Guarda, já que o Ministério Público Estadual pretende interpor recurso sobre a decisão do TJ desta semana. Desde a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de proibir a BHTrans de multar, os chumbinhos têm trabalho somente na operação, engenharia e controle de tráfego, explica o diretor-presidente da empresa, Ramon Victor César. “As funções são as mesmas, exceto a autuação. Mas a PBH vai tentar restabelecer o papel que é próprio da BHTrans”, afirma.

Sobre a possibilidade de os guardas municipais usarem armas de fogo, depende de a Polícia Federal aprovar os comprovantes encaminhados pela Secretaria Municipal de Segurança Urbana e Patrimonial. Vários revólveres foram comprados, no mandato do prefeito Fernando Pimentel (PT). “São mais de 10 pré-requisitos que devem cumpridos”, explica o coronel Genedempsey. Depois da autorização, os guardas escolhidos para usar o armamento serão treinados devidamente. Segundo o secretário, não serão todos os que terão o direito de usar as armas. Parte da tropa vai usar armas não-letais.